20 de junho de 2018

Sinal verde para conclusão de nova rodovia de acesso ao Sul da Ilha e aeroporto

 Quinze anos depois da inauguração de seu mais importante acesso viário, a Via Expressa Sul no final de 2004, que pôs fim ao precário acesso único pela Costeira, o Sul da Ilha está muito próximo de conquistar, mesmo que por ‘vias tortas’, o complemento do projeto original da histórica rodovia, abortado à época por questões econômicas. Isso porque o governo estadual está na iminência de assinar ordem de serviço para execução do último trecho pendente do novo acesso ampliado ao futuro aeroporto, que após sua conclusão integral, prevista para agosto de 2019, vai abrir nova conexão ao Sul da Ilha via aeroporto.
A exemplo da Via Expressa Sul, com extensão de pouco mais de seis quilômetros, que levou nove anos para ser concluída, a nova rodovia ampliada levará também outros nove anos – desde sua concepção em 2010 -, para execução de 8,7 quilômetros entre o Trevo da Seta e a rodovia da Tapera, que completa sua conexão com a região.  A obra originalmente estava prevista para ficar pronta ainda em 2014, antes da Copa do Mundo no Brasil.
Os dois trechos remanescentes da ampliação, que somam 2,6 quilômetros, no entanto, só tiveram licenciamento ambiental liberado recentemente, com a ascensão do atual governador Eduardo Pinho Moreira, que assumiu depois da renúncia do titular Raimundo Colombo. O primeiro, de 1,4 quilômetro, teve as obras iniciadas recentemente e o outro deve começar  no mais tardar até agosto.
A pressão do grupo suíço que obteve a concessão do aeroporto foi decisiva para a solução do imbróglio envolvendo a obra. Mais do que beneficiar o Sul da Ilha, o empenho do governo para desenrolar o licenciamento e viabilizar a conclusão foi pautado pela ameaça dos gringos de abortarem o milionário investimento. A ampliação é complementada por outros dois lotes, um deles concluído – entre futuro aeroporto e acesso à SC-405 – e outro na iminência de conclusão, entre Trevo da Seta e viaduto de Carianos.
O superintendente do Deinfra, Cléo Quaresma, acredita que o indicativo neste momento é de viabilização da entrega do novo complexo viário em agosto do próximo ano, pouco antes da inauguração do novo aeroporto, prevista para outubro de 2019. O dirigente admite, no entanto, que existem fatores que ainda põem em risco a concretização dentro do prazo, entre eles o equacionamento de algumas importantes desapropriações. “O governador está sendo ágil na solução dos problemas; vamos torcer que não surjam outros imbróglios”, comentou. A crise de receitas do governo estadual também não pode ficar de fora da lista de ‘pedras no caminho’ da rodovia.
Noves fora os imbróglios, o acesso exclusivo pela SC-405 para chegar ao Sul da Ilha, sujeito a congestionamentos crônicos e frequentes alagamentos por chuvas e maré alta, já começa a ficar com os dias contados. Na recente enxurrada que atingiu a região, em janeiro deste ano, deixando o Sul da Ilha praticamente isolado por dois dias, a situação foi dramática, com o único acesso à região se dando pela restrita área da Base Aérea, na Tapera.
O único trecho concluído da rodovia ampliada, com asfalto estalando de novinho, contudo, não chegará intacto à inauguração do novo complexo viário. Isso porque o trecho pela rodovia da Tapera, único que permite acesso às obras do futuro aeroporto, será ‘cedido’ à concessionária suíça para o tráfego de caminhões e maquinário pesado direcionado à obra. Não está descartado inclusive o risco de, no caso do novo complexo viário não ficar pronto no prazo, a própria operação do novo terminal se inicie com acesso pela rodovia da Tapera. (Foto: Deinfra/Divulgação/JC)