SAI licitação para retomada das obras de rede de esgoto no Campeche

das obras da estação. Atualmente, a empresa trabalha amparada numa LAP (Licença Ambiental Prévia). “Nossa expectativa é que a conclusão da licitação coincida com a obtenção da LAI”, afirmou.  MANIFESTAÇÃO - O recente protesto promovido por moradores do Campeche por soluções de saneamento e contra a poluição da praia (foto acima), deu resultados. A repercussão nacional alcançada pela manifestação levou o Ministério das Cidades a convocar a Casan para reunião em Brasília, ocorrida em meados de março, que desencadeou na decisão de abertura de licitação para recontratação das obras da rede de esgoto do Campeche. “Eles nos cobraram soluções e levamos para eles os jornais locais, mostrando que a comunidade quer a rede de esgoto”, destacou o gerente de Construção da Casan, Fábio Krieger. Financiada com recursos federais, a rede de esgoto em construção no Campeche está orçada em cerca de R$ 65 milhões, dos quais R$ 15 milhões já aplicados, na instalação de pouco mais de 15 quilômetros de rede. Outros R$ 50 milhões estão provisionados para a conclusão da rede de tubulações e a estação de tratamento. Revoltados após o surgimento de uma enorme língua de água negra desembocando no mar, no final de fevereiro, centenas de moradores do Campeche participaram, no começo de março, de uma manifestação na beira da praia.  Mobilizada pelas redes sociais e no velho estilo boca-a-boca, contou com a participação de líderes comunitários e políticos, e culminou com um abraço à praia. A água negra que desembocava no mar foi alvo de inspeção de técnicos da Floram e entidades ambientais. A ONG Instituto Sea Sheperd Brasil informou que o resultado das análises de amostras de água originadas da vala na Avenida Pequeno Príncipe, que desembocava na praia, comprovaram a presença de coliformes fecais em níveis acima dos tolerados. Outros dois pontos da praia também teriam focos de poluição conforme a ONG. Krieger garante que a Casan planeja acelerar a retomada das obras da rede local, para evitar a perda dos recursos disponibilizados pelo Governo Federal e também o risco de ser obrigada a devolver os R$ 15 milhões já utilizados. O dirigente informou ainda que, paralelamente à retomada das obras da rede de esgoto do Campeche, a Casan segue mobilizada em busca de linhas de financiamento para viabilizar a expansão da rede local, contemplando o Rio Tavares e outras áreas adjacentes ao Campeche. (Foto: Milton Ostetto/Divulgação/Arquivo/JC)

FLORAM e Vigilância Sanitária fecham cerco ao despejo ilegal

TAPERA, Ribeirão da Ilha e Armação ganham obras de pavimentação

JUSTIÇA define futuro de obra de acesso ampliado ao aeroporto

NOVO imprevisto põe em risco conclusão de elevado em outubro

COMEÇA construção do primeiro quartel de bombeiros na região

AGÊNCIA do BB no Campeche muda de prédio a partir de maio

Radar

NOVO posto de saúde do bairro deve ficar pronto em julho

Vitrine

IDIOMAS Campeche agora em novas instalações

Artigos

GRAVIDEZ em tempos de Zika Vírus; um alerta aos adolescentes

Fala Campeche

LEITOR critica projeto de emissário no CAMPECHE

Vida & Saúde

DORES articulares em idosos aumentam no inverno

Casa & Obra

CAMPECHE ganha nova lavanderia de tapetes e estofados

Planta & Jardim

TELHADOS verdes são uma aposta bonita e sustentável

Bichos & Cia

ANIMANÍACOS amplia serviços e oferece veterinário 24 horas

Letras & Livros

CAIO Fernando Abreu, para sempre na memória dos leitores

Agenda

CONFIRA capa da edição 142 do Jornal do Campeche

Só Riso

O BARBEIRO, o florista, o padeiro e os nossos políticos

Sabor & Arte

MON Pote, inovadora opção de comida saudável no pote

Moda & Estilo

GRUPO Malwee investe em moda biodegradável

Esporte & Ação

Liga Retrô comemora 10 anos com ações inéditas na rede

Planeta Ecologia

Mostra de cinema inovador e auto-sustentável chega à capital

Tecnologia

EMPRESA da capital produz alimentos com água livre de contaminantes